devaneios online

posts recentes

Novo Código da Estrada ap...

Kit Assalto ?

Kiva, um ano

coisas...

Actividades sexuais!

CUIDADOS SEXUAIS PARA APO...

MusiCÃO ...

Bugs Bunny, pelo 'pai'

Arrumar a mala é fácil

Vinnie Jones ensina a sal...

mini boss

Ge Ni Al

...

A importância dos detalhe...

Angry football birds?

Publicidade criativa

Hmm.. medo de motoqueiros...

Garfield?

gatos (desta vez com água...

Silicone com fartura

Publicidade

subscrever feeds

arquivos

Julho 2013

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Janeiro 2010

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Domingo, 12 de Julho de 2009

Barbeiros e taxistas - Conversa garantida

Não sei que mais têm em comum os barbeiros e os taxistas, mas há uma coisa que certamente já repararam. Ambos assumem que nós estamos cheios de vontade de conversar. E ambos desatam a falar sobre o tempo, a política, ou a economia, emitindo opiniões para trás e para a frente. Pelo meio, se conseguirmos ir interjeitando um 'pois é' ou um "sim, é verdade" já é bem bom, pois normalmente basta um pequeno movimento de cabeça, para que eles embalem novamente em nova tirada.

Vem isto a propósito de ter ido ontem cortar o cabelo. O barbeiro, um sujeito reformado da marinha, que tem uma cultura geral impressionante, falou de tudo, desde o clima, e das diferenças que encontrou nas suas viagens por este mundo, até à política, sempre tendo o cuidado de não extremar posições porque final, não se sabe qual a cor política do tosquiado, digo do cliente...

Pelo caminho, dei comigo a pensar que os barbeiros eram uma classe única nesse aspecto, mas depois recordei-me dos taxistas, que por estranho que pareça têm o mesmo hábito verborreico. Verdade se diga que os taxistas têm uma maior tendência para falar de desporto, das venturas e desventuras dos principais clubes, e ironicamente, também sem assumirem declaradamente a sua filiação clubística. Vão emitindo opiniões enquanto nos miram pelo espelho retrovisor tentando adivinhar a nossa reacção. Eu, por mim, procuro não os incentivar, mas parece que o meu silêncio é interpretado como concordância, e lá seguem alegremente no seu linguarejar.

Quem se senta na cadeira do barbeiro, quer o cabelo cortado, ou a barba feita, ou eventualmente ambos, e não quer necessariamente levar uma ensaboadela.

Quem apanha um táxi, quer em primeiro lugar, chegar ao seu destino, logo a conversa também é dispensável.

Tenho de arranjar um estratagema para evitar estas conversas.

Alguém tem uma ideia de como o fazer?

 

Por outro lado, que estas coisas têm sempre dois lados, quem se sentir só e estiver com vontade de conversar um pouco, recomendo-lhe que vá cortar o cabelo. E, já agora, vá de táxi :)

 

AR

 

publicado por AReis às 17:01
link do post | comentar | favorito
|

Publicidade

disclaimer
AReis
My Tech blog
Aquecedores a óleo
Arrendar Casa
Classificados grátis

pesquisar

 

tags

todas as tags

LibraryThing

Publicidade