devaneios online

posts recentes

Novo Código da Estrada ap...

Kit Assalto ?

Kiva, um ano

coisas...

Actividades sexuais!

CUIDADOS SEXUAIS PARA APO...

MusiCÃO ...

Bugs Bunny, pelo 'pai'

Arrumar a mala é fácil

Vinnie Jones ensina a sal...

mini boss

Ge Ni Al

...

A importância dos detalhe...

Angry football birds?

Publicidade criativa

Hmm.. medo de motoqueiros...

Garfield?

gatos (desta vez com água...

Silicone com fartura

Publicidade

subscrever feeds

arquivos

Julho 2013

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Janeiro 2010

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Segunda-feira, 4 de Outubro de 2010

Crise, mas não para todos :/

Vem hoje noticiado no Sol, que as lojas Louis Vuitton vão fechar uma hora mais cedo para não vender tanto. A produção não consegue acompanhar o ritmo das vendas e receiam chegar ao Natal sem stock. No mesmo artigo referem que há outras marcas, como a Chanel que têm problemas semelhantes.

 

Ora, tratando-se de marcas e artigos de luxo, ou pelo menos assim considerados, torna-se evidente que a crise não é para todos. As marcas de automóveis de luxo, ou os topos de gama também não se queixam das vendas.

 

A conclusão é simples, em períodos de crise, em que nos mandam apertar o cinto e fazer sacrifícios, há sempre quem não sinta a crise, e até prospere durante a mesma. Não é ilegal, mas roça o imoral.

 

Isto na semana seguinte a termos sabido que o estado compra carro de luxo, que a empresa pública Águas de Portugal, ia renovar a sua frota de carros de uso pessoal dos administradores, que por sinal também não eram propriamente baratitos... E, que um certo vogal de uma empresa pública, viajou de avião para o Porto, mas ordenou ao seu motorista que lhe levasse o carro pela A1, para estar lá à sua espera quando aterrasse, e que o mesmo regressou novamente de avião, e como o carro ainda vinha na A1 teve de regressar a casa de táxi...

 

Palpita-me que alguns dos senhores (com s pequeno) que retratei acima, são clientes habituais das lojas e das marcas que não sentem a crise...

 

tags:
publicado por AReis às 18:03
link do post | comentar | favorito
|

Publicidade

disclaimer
AReis
My Tech blog
Aquecedores a óleo
Arrendar Casa
Classificados grátis

pesquisar

 

tags

todas as tags

LibraryThing

Publicidade